Uncategorized

O ser ou não ser …

Deu na Gazeta:

Matéria da Gazeta do Povo fala sobre transporte coletivo, bicicleta e o caos urbano gerado pelo uso excessivo de automóveis.

Jorge Brand, um dos mentores da Bicicletada: debate do transporte público passa pelo pedestre e pelo ciclista.

O ser ou não ser da fila do ônibus

Transporte coletivo monopoliza debate social em Curitiba depois de a cidade se tornar modelo internacional de gestão. Dúvida é se a criatividade se esgotou ou se falta coragem para avançar.

“Em 22 de setembro próximo, Dia Mundial sem Carro, a turma da Bicicletada vai reunir na Reitoria da Universidade Federal do Paraná (UFPR) os candidatos à prefeitura para arrancar deles um compromisso por escrito de que dias melhores virão para quem anda a pé ou sob duas rodas. A questão corre em paralelo ao caos do trânsito, tem mobilizado parte da opinião pública, num dos raros momentos em que os curitibanos espreguiçam a pasmaceira política. No mais, trânsito virou um discurso intransigente das classes médias, que querem agilidade, espaço, nem que para isso seja preciso derrubar praças e bosques.”

Leia a matéria na íntegra na Gazeta do Povo online, clique aqui.
http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/vidapublica/conteudo.phtml?tl=1&id=801522&tit=O-ser-ou-nao-ser-da-fila-do-onibus

Uncategorized

Gazeta do Povo, distorcendo o assunto…

Nosso colega amigo da bicicleta, Antonio Ramos Neto, depois de ver várias pessoas reclamando dos congestionamentos e afins, enviou uma mensagem para o jornal a Gazeta do Povo, falando sobre quem causa os congestionamentos são os mesmos que reclamam. Até aí beleza, como diz ele, publicaram o texto no dia e tudo mais, porém, fizeram “sem querer querendo”, uma “pequena alteração”, distorcendo totalmente a mensagem… x, veja a seguir:

A mensagem original enviada:
“Os motoristas esquecem que o causador dos congestionamentos, que eles tanto reclamam, são eles mesmos! Não adianta reclamar se os próprios causadores não colaboram deixando o carro em casa de vez em quando, utilizando o transporte público, andando a pé ou de bicicleta em menores distâncias. Ajustes técnicos como guardas de trânsito em “horário de pico” ou construção de binários e afins não ajudam de nada, não passam de ação tapa buraco! Educação e consciência coletiva é o que falta no trânsito.”

Já, conforme http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/opiniao/conteudo.phtml?tl=1&id=795656&tit=Congestionamentos, escreveram o seguinte:
“Os motoristas esquecem que o causador dos congestionamentos que tanto reclamam são eles mesmos. Não adianta reclamar se os próprios causadores não colaboram. Deixar o carro em casa de vez em quando; utilizar o transporte público às vezes; andar a pé ou de bicicleta em menores distâncias… não resolve muito. Ajustes técnicos como guardas de trânsito em “horário de pico” ou construção de binários e afins não ajudam em nada, não passam de ação tapa-buraco. Educação e consciência coletiva é o que falta no trânsito.”

… por isso, não confie totalmente nas informações das grandes mídias… afinal, elas manipulam à sua maneira… ou como melhor lhe convêem…