dia mundial sem carro, mobilidade urbana, trânsito

Nesta sexta, Semana do Trânsito em Curitiba

Richa abre nesta sexta a Semana do Trânsito, com teatro e música para 2.000 crianças
Richa abre nesta sexta a Semana do Trânsito, com teatro e música para 2.000 crianças

Anúncios
bicicleta, dia mundial sem carro, mobilidade urbana, notícias, trânsito

Com bicicletas

Reproduzo aqui no blog o editorial de hoje da Gazeta do Povo:

Com bicicletas

Diante dos cada vez mais frequentes congestionamentos e acidentes de trânsito na capital paranaense, nada mais elogiável do que a luta dos que buscam meios de transportes alternativos para diminuir os problemas urbanos de Curi­­tiba. Este é o objetivo de um grupo de jovens que está à frente do movimento Arte Bicicleta Mobilidade, que elegeu o mês de setembro, com programa de várias manifestações públicas, para incentivar e cobrar do poder público o uso de meios de transportes não poluentes. O ato principal está marcado para o dia 22, Dia Mundial Sem Carro, quando se pretende realizar a “Marcha das Mil Bikes”. De modo geral, os motoristas e pedestres não respeitam os ciclistas e não há ciclovias ou ciclofaixas em toda a cidade. Para suprir essas deficiências, a prefeitura elaborou um Plano Diretor Cicloviário que está em fase final de elaboração. É um avanço. O uso seguro de bicicletas só será possível, no entanto, com uma mudança de cultura no uso racional dos transportes no meio urbano. Que este setembro das bicicletas ajude a tornar mais próximo o sonho.

Link para o editorial: http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/opiniao/conteudo.phtml?tl=1&id=920849&tit=Com-bicicletas

artigos, notícias

Poluição custa US$ 1 bilhão por ano ao Brasil

Estudo inédito da USP analisou o ar em 6 regiões metropolitanas e concluiu que maior vilão ambiental é a frota de veículos.

A má qualidade do ar custa pelo menos US$ 1 bilhão – cerca de R$ 2,3 bilhões – aos cofres públicos brasileiros a cada ano, principalmente com as mortes ou tratamento de doenças associadas, direta ou indiretamente, à poluição. O valor está no primeiro estudo latino-americano a quantificar o estrago financeiro causado pelos gases tóxicos emitidos na atmosfera. A conclusão é fruto de uma análise exclusiva dos dados das primeiras avaliações de um dos centros de pesquisas mais importantes do mundo, o Laboratório de Poluição Atmosférica Experimental da Universidade de São Paulo (USP). As informações são referentes a seis regiões metropolitanas do país: Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo.

O ranking da sujeira mostra São Paulo (US$ 300 milhões) na ponta, seguido por Rio de Janeiro (US$ 250 milhões), Porto Alegre (US$ 180 milhões), Belo Horizonte (US$ 150 milhões), Curitiba (US$ 140 milhões) e Recife (US$ 10 milhões). “Calculamos as perdas em dinheiro, pois ninguém se impressiona mais com pilhas de corpos. Não interessa quantos milhões de pessoas morrem. O único jeito de sensibilizar as autoridades para a implementação de políticas públicas é calcular custos”, afirma o coordenador do laboratório, Paulo Hilário Saldiva.

A pesquisa está sendo feita no Brasil a pedido do Ministério do Meio Ambiente. O objetivo é verificar os níveis de poluição, quanto está acima dos padrões, a quantidade gerada por veículos e o preço desse conjunto. As coletas começaram há um ano, mas todas as análises químicas e físicas estão concentradas em São Paulo. A interpretação dos dados será feita numa segunda fase e vai analisar o custo real da poluição, considerando o número de internações hospitalares, quantas pessoas morrem e a redução estimada do tempo de vida média dos habitantes.

A expectativa é de que os órgãos ambientais usem os resultados para medidas de compensações ambientais, para estimular empresas a adotarem técnicas menos poluidoras e incentivar melhorias no transporte coletivo.

A poluição atmosférica mata de 2,5 milhões a 4 milhões de pessoas por ano, em todo o mundo. A estimativa é do estudo intitulado The Global Burden of Disease, da Organização Mundial da Saúde e do Banco Mundial, feito na Universidade de Harvard. Os números representam um perigo real e são proporcionais a enfermidades tradicionais como a malária e a tuberculose. A partir dessas interpretações, os responsáveis pela pesquisa elaboraram uma fórmula para ensinar os países em desenvolvimento a calcular os gastos em saúde.

Além dos valores do tratamento propriamente dito, como os custos com as internações, a fórmula avalia os fatores indiretos associados às doenças: dias de trabalho perdidos, como a falta de um empregado afeta na produção e no saldo financeiro das empresas, redução de impostos, desestruturação da família, entre outros.

http://blog.eco4planet.com/2009/06/poluicao-custa-us-1-bilhao-por-ano-ao-brasil/

artigos, cicloativismo, mobilidade urbana

Incrível, a Freeway do Maluf é melhor que a do Serra

O DUELO DAS FREEWAYS

Comparação entre os dois projetos da obra na marginal Tietê em São Paulo.

Clique aqui para ler o artigo.

“Resolver o problema de trânsito com construção de mais vias é o mesmo que combater a obesidade afrouxando o cinto.” André Pasqualini, CicloBr

ativismo, cicloativismo, critical mass, vídeos

NY afasta policial após vídeo de agressão no YouTube

da Folha Online

Um policial de Nova York foi afastado temporariamente da corporação depois que um vídeo publicado no YouTube o mostrou empurrando fortemente um ciclista durante passeios de bicicletas na cidade, na última sexta-feira (25). O ato foi registrado por um turista, postado no site no domingo (27) e teve ao menos 398 mil acessos.

O filme mostra dois ciclistas participando da Critical Mass Ride, na Times Square, quando um deles, identificado como Christopher Long, 29, parece querer desviar de um guarda, mas é empurrado violentamente e cai sobre a calçada.

Segundo o jornal “The New York Times”, o policial Patrick Pogan afirma que ciclista estava indo em sua direção, mas o vídeo não mostra isso.

Por causa da ação, Pogan está sob investigação interna na polícia e pode ser expulso. Já o ciclista foi preso sob acusação de bloquear o trânsito, resistência à prisão e conduta irregular.

A Critical Mass é uma passeio de bicicletas realizado na última sexta-feira de cada mês em várias cidades do mundo. O evento, que começou em San Francisco em 1992, tem o objetivo de protestar contra o uso excessivo de automóveis.

A corrida tem sido motivo de tensão com a polícia desde 2004, após a convenção do Partido Republicano, quando cerca de 250 participantes foram presos sob acusação de não ter permissão para realizar o evento.

Fonte do artigo: http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u427480.shtml