notícias

Da lama ao caos

O sonho dos governantes brasileiros, e também de grande parte da população, parece ser transformar as grandes cidades do Brasil naquelas cidades futuristicas que se via nos filmes cult dos anos 80, filmes como Blade Runner e Batman, onde as cidades são sombrias, poluídas, sem vida, dominadas pelo caos e violência, os carros dominando a confusão e as pessoas andando com mascaras de oxigênio.
Posso estar viajando na maionese,  mas parece que o futuro vai ser assim mesmo.  😦

Foi anunciado hoje pelo governo de São Paulo,  nova pista da Marginal Tietê.

Leia as notícias sobre o assunto em:

Vem aí a Freeway do Serra – CicloBr

Governo de SP anuncia nova pista na Marginal Tietê – G1

Com ampliação da Marginal Tietê já iniciada, ambientalistas se reunem para questionar obra – Notícias UOL

O que você pensa sobre o projeto de ampliação da Marginal Tietê?  – Dê sua opinião no grupo de discussão UOL

 “…são elefantes brancos bilionários, que ou são instrumentos de retribuição a empreiteiras que financiam campanhas ou, em casos de boa fé, ignorância dos governantes em relação ao problema.” – Rafael Poço, ambientalista

artigos, bicicleta, cicloativismo, mobilidade urbana, textos

Notícias boas em São Paulo

Sec. de Transporte cria coordenadoria para bicicletas em São Paulo

Durante o curso “Motoristas convivendo com as Bicicletas”, realizado no Umapaz, no dia 07 de julho de 2009, em seu pronunciamento durante o fechamento do curso, o Secretário de Transportes, Alexandre de Moraes se comprometeu a criar uma coordenadoria de bicicletas dentro da sua secretaria.

 

Palestra aos Motoristas de Ônibus de São Paulo

Para quem acredita que a educação é o caminho, fiquem felizes como eu fiquei nesse domingo. Foi realizada no Umapaz, o início de um projeto que tem como objetivo, conscientizar os motoristas de ônibus de São Paulo do quanto eles são importantes para preservar e melhorar a vida, não só dos ciclistas, mas de todos os habitantes dessa cidade.

Notícias publicadas no site http://www.ciclobr.com.br

artigos, bicicleta, mobilidade urbana

Enfim, uma boa notícia.

Alceni, não esqueça minha caloi 🙂

Tecnologia, criatividade e orientação
serão usadas para melhorar o trânsito

Publicado em: 22/05/2009 16:40

 O prefeito Beto Richa determinou às equipes de infraestrutura urbana da Prefeitura um pacote de medidas para a melhoria do trânsito da cidade, que começarão a ser vistas e sentidas pelos curitibanos já nas próximas semanas. Serão mudanças em regras de circulação, novas áreas de Estacionamento Regulamentado (EstaR), correções no traçado de algumas ruas e a criação de faixas exclusivas para ônibus em pontos-chave da região central da cidade, além da implantação de novos binários.

O calendário de ações está sendo concluído pelas equipes técnicas. Entre as primeiras mudanças estarão as proibições de estacionamento na9s vias rápidas nos horários de maior movimento, e a proibição definitiva em algumas ruas onde já existe restrição de horário para estacionar. Nas avenidas que acompanham canaletas, os motoristas também perceberão novas proibições de conversões à esquerda, que geravam conflito de tráfego e risco de acidentes com ônibus.

O secretário municipal de Planejamento, Alceni Guerra, explica que o pacote de soluções de trânsito está dividido em cinco eixos: educação e informação, tecnologia de trânsito, infraestrutura de circulação, novos binários e incentivo aos meios alternativos de transporte na região central.

Para disseminar educação e informação de trânsito, a Prefeitura vai fazer novas campanhas e buscar parcerias com escolas, empresas, igrejas e todas as instituições que possam colaborar. “Mobilidade urbana é um problema de todos, por isso deve ser uma responsabilidade compartilhada”, afirma. Serão usados os meios de comunicação tradicionais, por exemplo as propagandas em televisão, mas também serão buscadas novas formas de levar as mensagens educativas ao cidadão. “Em Bogotá, na Colômbia, por exemplo, foram usados mímicos nas ruas para mostrar atitudes negativas e positivas no trânsito, e foi um grande sucesso. Vamos usar a criatividade como aliada da mobilidade”, afirma.

No eixo da tecnologia de trânsito, o esforço será concentrado na melhoria do sistema de semáforos, com o uso de equipamentos inteligentes, alimentado por informações em tempo real, sistemas de câmeras, e painéis eletrônicos com informações instantâneas para os motoristas sobre bloqueios, pontos de lentidão e caminhos alternativos.

Na infraestrutura de circulação, a Prefeitura fará obras de melhorias de sinalização horizontal (faixas) e vertical (placas). Correções geométricas vão resolver os problemas das pistas que estreitam ou alargam de uma quadra para outra, gerando conflitos de tráfego. Com as proibições de estacionamento em algumas ruas também será possível aumentar o número de faixas de rodagem, melhorando a capacidade de circulação.

Na região central, a Prefeitura de Curitiba vai desestimular o uso do automóvel e incentivar os meios alternativos. Em algumas ruas, o transporte com bicicletas terá prioridade sobre os veículos. Melhorias na rede de calçadas vão motivar as pessoas a fazer a pé os deslocamentos menores .O desenvolvimento destas medidas está sendo feito pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc).

A criação de novos binários é um dos pontos mais importantes do pacote. Serão construídos 12 binários até 2010, com ajustes e mudanças de tráfego nas ruas de ligação entre bairros, bem como o Centro e os bairros com maior volume de tráfego. Os binários deixam o trânsito mais ágil e seguro porque são formados por duas ruas paralelas, de mão-única, com sentidos opostos.

“A lista de medidas, especialmente as de longo prazo, não é fixa. Estaremos atentos a novas necessidades e faremos adaptações. O importante é ter uma ação efetiva diante do problema real do aumento da frota da cidade, que ganha 200 carros novos por dia, tornando o trânsito um de nossos maiores desafios”, afirma o secretário de Planejamento.  

 

MUDANÇAS  

 

Resumo das principais soluções de trânsito planejadas pela Prefeitura de Curitiba.  

 

Binários:

Proibição de Estacionamento 

 Nilo Peçanha com Albino Silva (Bom Retiro)

Rua Leôncio Corrêa com Herculano Carlos Franco de Souza (água Verde)

Av. Nossa Senhora Aparecida com rua José Naves da Cunha (Seminário)

Av. Manoel Ribas, em dois trechos: com rua Júlia Wanderley (Bigorrilho) e com rua Teixeira de Freitas (São Francisco)

Rua Alcino Guanabara com Júlio César Ribeiro (Hauer)

Rua Nivaldo Braga com Olga Balster (Capão d aImbuia)

Rua Belo Horizonte com Lindolfo Pessoa (Batel)

Rua Júlia da Costa com Princesa Isabel (Batel)

Rua Jerônimo Durski com Gastão Câmara (Bigorrilho)

Rua Costa Carvalho com Euclides da Cunha (Batel)

Rua Padre Germano Mayer com Camões (Hugo Lange)

Rua Amazonas com Avenida dos Estados (Água Verde)

De segunda a sexta das 7h às 20h, sábados das 7 às 14h: vias rápidas e avenida Silva Jardim

Em definitivo: ruas Desembargador Motta, Carneiro Lobo, Carlos de Carvalho, Vicente Machado, Bento Viana, Ângelo Sampaio, Visconde de Guarapuava

 Instalação de EstaR 

Rua Vicente Machado (novos trechos)

Av. João Gualberto (Alto da Glória)

Transversais das avenidas Marechal Floriano, República Argentina e Padre Anchieta 

Faixas exclusivas para ônibus

Nas ruas Barão do Serro Azul, Desemb. Westphalen, Alferes Poli, avenidas Iguaçu e Água Verde.

—————————————————————————————-

 

(C) Prefeitura Municipal de Curitiba – http://www.curitiba.pr.gov.br

Notícia impressa em: 25/05/2009 11:44

 

 Artigo publicado originalmente em: http://www.curitiba.pr.gov.br/Noticia.aspx?n=16402

artigos, bicicleta, cicloativismo

Onda de consciência faz paulistanos trocarem carros por bicicletas

Mais uma campanha do governo e da iniciativa privada deu certo. A população da maior metrópole do país começou a deixar seus carros em casa e aderiu à bicicleta como principal meio de locomoção, saindo sobre duas rodas pelos mais de 200 quilômetros de ciclovias construídas em São Paulo. Já foram instalados também suportes para bikes nos ônibus e bicicletários em todas as estações de trem e metrô, além da redução de estacionamentos para carros em shoppings, bares e restaurantes. As vagas foram divididas e onde um carro parava, 3 bicicletas podem estacionar. Prova de que a ação está dando resultados foi a última sexta-feira, no horário de pico, que o congestionamento em São Paulo não passou de 20 quilômetros. Para apoiar essa ação, os fabricantes das magrelas reduziram os preços graças a incentivos fiscais. Além disso, os novos meios de locomoção adotados pelos moradores de São Paulo ganharão novos modelos. Sairão da fábrica com pisca alerta, seta, farol e até uma buzina mais potente. O governo promete mais: em menos de dois anos, as principais rodovias do Estado serão tomadas por ciclovias na proporção de uma pista de carros para quatro pistas de bicicletas. E as bikes não melhoram apenas o trânsito, mas a poluição também. Ao contrário dos carros, responsáveis por 40% da poluição nas grandes cidades, as bicicletas não poluem. Com isso, o índice de poluição emitido por automóveis deve cair até 30%. E para incentivar aqueles que não largam o seu automóvel de jeito nenhum, será cobrado uma taxa diária de 8 reais ou 240 reais mensais para quem insistir em andar de carro em algumas vias da capital.

Veja essa e outras manchetes em “Dez manchetes que gostaríamos que fossem verdades”, clique aqui.

ativismo, bicicletada, bicicletada curitiba, critical mass, mobilidade urbana

Grupos divulgam uso da ‘magrela’

Matéria publicada na Folha de Londrina em 11/12, junto com esta outra (Projetos incentivam uso da bicicleta http://www.bonde.com.br/folha/folhad.php?id=5489&dt=20081211), sobre alguns projetos obscuros da Câmara dos Vereadores. Achei que viria com mais erros.

Grupos divulgam uso da ‘magrela’ http://www.bonde.com.br/folha/folhad.php?id=5445&dt=20081211

Curitiba – Vários grupos em Curitiba têm organizado eventos para incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte. Eles contam com a ajuda de ambientalistas que vêem no modelo uma oportunidade para a redução da emissão de gás carbônico produzido pelos automóveis. Aos poucos, esses movimentos também servem de pressão para que os agentes políticos prestem mais atenção ao assunto.

Um desses movimentos é a “Bicicletada”, inspirado no movimento internacional Massa Crítica. O professor universitário Leandro Kruscielski, participante da Bicicletada, explica que esse é um movimento sem líderes, denominado “coincidência organizada”. O objetivo dos participantes, em média 100 por encontro, é que a bicicleta ocupe seu espaço de direito nas vias. Outro aspecto que o movimento procura enfatizar é o uso dos espaços públicos como um local de convivência e de respeito entre os cidadãos. “A gente pedala juntos e procura compartilhar o tráfego não ocupando todo o espaço da rua”, disse.

De acordo com o participante da bicicletada, o evento é uma espécie de celebração que pretende a conscientização da população e educação no trânsito. Ele afirma que os projetos em discussão na Câmara são vistos com bons olhos pelos ciclistas do movimento, mas devem vir acompanhados de outras ações. A principal crítica que faz ao sistema de ciclovias da cidade é a chamada “ciclovia compartilhada”. “Na verdade é uma calçada que a Prefeitura chama de ciclovia. Isso não dá certo porque o ciclista não consegue desenvolver uma boa velocidade sem colocar em risco os pedestres e precisa esperar em cada cruzamento para atravessar as ruas”, afirmou.

O modelo defendido é o de ciclofaixa, ou seja, uma faixa de trânsito pintada na própria rua, que seria um espaço preferencial para o ciclista. “Dessa forma fica visível ao motorista que aquele espaço também é do ciclista e que ele precisa ser respeitado”, diz.

Para Luiz Patrício, membro do Grupo Transporte Humano, uma organização que está se constituindo formalmente e tem como objetivo principal promover a mobilidade sustentável em Curitiba, tanto os estacionamentos para bicicletas quanto o projeto de aluguel dos equipamentos são extremamente interessantes mas não podem vir sozinhos. Para ele, segurança e integração com outros modais como o sistema de transporte coletivo é essencial. “Se não houver segurança para o ciclista, o projeto está fadado ao fracasso”, completou. (K.L.M.)

In Amsterdam.
In Amsterdam.

Postado originalmente no fórum da Bicicletada Curitiba,por Leandro Kruscielski.

mobilidade urbana, notícias, trânsito

Gazeta do Povo – E o homem recria a metrópole

ele enfrenta o trânsito caótico do Prado Velho sobre duas rodas – com mochila nas costas – sem deixar de ser doutor.
Dr. Fábio de bike – o arquiteto e urbanista Fábio Duarte, coordenador do mestrado de Gestão Urbana da PUCPR, é um símbolo da Curitiba descontente com a “são-paulização” da cidade. Faz pesquisas sobre poluição provocada por carros, gerou grupos de discussão universitária e mostra que é possível dar uma reviravolta na cidade: ele enfrenta o trânsito caótico do Prado Velho sobre duas rodas – com mochila nas costas – sem deixar de ser doutor.

“Quando a série Retratos de Curitiba já estava chegando ao fim, soube-se que o supergraduado arquiteto Fábio Duarte, da PUCPR enfrenta o trânsito de Curitiba de bicicleta. Verdade seja dita: Fábio é uma raridade. Difícil encontrar as classes médias nos ônibus e nas ruas, empenhando seu quinhão para melhorar a cidade. Particularmente no trânsito – com folga o tema mais explosivo da campanha municipal de 2008.

Tomara em 2012, o arquiteto não esteja sozinho nas ruas. É isso ou 1,5 milhão de carros.

Trecho da matéria “E o homem recria a metrópole”, publicada na Gazeta do Povo em 05/10/2008 por Rosana Félix e José Carlos Fernandes, leia a matéria completa aqui.

Uncategorized

O ser ou não ser …

Deu na Gazeta:

Matéria da Gazeta do Povo fala sobre transporte coletivo, bicicleta e o caos urbano gerado pelo uso excessivo de automóveis.

Jorge Brand, um dos mentores da Bicicletada: debate do transporte público passa pelo pedestre e pelo ciclista.

O ser ou não ser da fila do ônibus

Transporte coletivo monopoliza debate social em Curitiba depois de a cidade se tornar modelo internacional de gestão. Dúvida é se a criatividade se esgotou ou se falta coragem para avançar.

“Em 22 de setembro próximo, Dia Mundial sem Carro, a turma da Bicicletada vai reunir na Reitoria da Universidade Federal do Paraná (UFPR) os candidatos à prefeitura para arrancar deles um compromisso por escrito de que dias melhores virão para quem anda a pé ou sob duas rodas. A questão corre em paralelo ao caos do trânsito, tem mobilizado parte da opinião pública, num dos raros momentos em que os curitibanos espreguiçam a pasmaceira política. No mais, trânsito virou um discurso intransigente das classes médias, que querem agilidade, espaço, nem que para isso seja preciso derrubar praças e bosques.”

Leia a matéria na íntegra na Gazeta do Povo online, clique aqui.
http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/vidapublica/conteudo.phtml?tl=1&id=801522&tit=O-ser-ou-nao-ser-da-fila-do-onibus

Uncategorized

Notícias do Estadão

A bicicleta como meio de transporte, ESP, 26/07/08

Política de transporte de São Paulo ignora bicicletas como meio
http://www.estadao.com.br/cidades/not_cid212464,0.htm

Sem projetos, candidatos dão palpites sobre ciclovias em SP
http://www.estadao.com.br/cidades/not_cid212461,0.htm

Radial Leste terá a próxima ciclovia de São Paulo
http://www.estadao.com.br/cidades/not_cid212459,0.htm

CPTM amplia bicicletários em estações de trens de SP
http://www.estadao.com.br/cidades/not_cid212456,0.htm

Secretária supera medo e pedala para ir ao trabalho em SP
http://www.estadao.com.br/cidades/not_cid212454,0.htm